Amazon

segunda-feira, 29 de janeiro de 2007

Vida Inconstante




Reluz o brilho nos olhos.

Sensações a um leve toque.

A volta ao passado

Querendo mudar o errado.

Ajustar temperamentos.

Constantes tergiversações

Subvertendo paixões.

Buscando acontecimentos;

Declinando decisões

Vivenciando, desse modo,

Algo que não se realizou.

Encontrando brechas

No muro do silêncio.

Um amor recrudescente

Nunca vivido

Apenas imaginado...





quinta-feira, 25 de janeiro de 2007

Realidade sensível




Negócio abstrato
sem forma
sem curvas
com significados
e perfeição.
como entender
sem sentir?
como sentir 
sem tocar?
como tocar
se é invisível?

um que pede
dois que realizam
e terceiro que interrompe...


 

domingo, 21 de janeiro de 2007

Fim





É um frio na barriga

Ansiedade que devora

É pensar, sonhar e acordar

É conhecer, apaixonar-se e acostumar

E acomodando-se no cotidiano

Imaginando que cada dia

Era o primeiro e único

Eis que surge o desgosto

É angústia, tristeza e solidão

É o vazio, pesadelo e separação

E o não estar junto de ti

É estar mais próximo de mim

Foi paixão

Era amor

Virou ilusão





 

sexta-feira, 19 de janeiro de 2007

Ser poeta





Queria ser poeta

Para viajar nas palavras

e entender a filosofia

dos mais altos sabios!

E tentar desmitificar

os mais puros sentimentos

de ira, raiva, ódio e amor.

Passar por linhas e páginas,

como um marcador de textos

e sentir as formas das palavras

mais belas de um pensamento inconsciente...


 

terça-feira, 16 de janeiro de 2007

Imaginação





Sou a mais alta felicidade triste

Que acompanha aqueles

Que querem procurar qual

O sentido da vida.

Sou também a triste felicidade

Que dura pouco, contudo

O suficiente para

Sorrir de tudo o que

Acontece ao seu redor.

Eu sou assim, uma camaleoa

Sem identidade ou lenço,

Porém tenho toda essa magia

Que deixo vocês encantados ou assutados.

Sou amiga, inimiga, sou a

Quem trai e a que consola.

Julgo a todos por não quererem

Se defender ou condeno aqueles

Que só fazem o mal.

Eu sou assim,

Sou quem ama,

Que chora a cada despedida

E sorri a cada reencontro.

Sou uma compreensão,

Para quem não tem com

Quem falar, porque eu sei ouvir.

Não adianta se desesperar, pois

Sou seu raio de sol

Ou o mar a lhe acalmar.

Enfim, sou a sua imaginação

Fazendo com que sejas feliz

Em qualquer situação.





segunda-feira, 15 de janeiro de 2007

Letargia




Letargia

O corpo não responde a estimulos

Desalento com a sintonia mundana

Vista embaçada e embaraçada

nos pensamentos.

Imperfeição quase aniquilada

com sofismas.

É o querer ter sem

Nada poder fazer

É se deixar levar

pela sofreguidão

como um joguete

Inerte na inepta inércia...